SIGA BRASIL SEM PEDOFILIA ATRAVÉS DO E MAIL

terça-feira, 22 de novembro de 2011

CAMPANHA MUNDIAL PROPÕE AÇÕES PARA PREVENIR ABUSOS E VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES




O 19 de novembro, Dia Mundial de Prevenção ao Abuso e à Violência contra Crianças e Adolescentes, trouxe à tona mais uma vez a temática do cuidado e zelo com os menores. Neste ano, para lembrar a data e fazer algo de concreto por crianças e adolescentes do mundo, cerca de 20 mil instituições, organizações da sociedade civil, órgãos governamentais, meios de comunicação e comunidades de base se uniram em uma campanha mundial.

Além de estimular uma cultura de prevenção, a iniciativa promovida pela Campanha Mundial para a Prevenção do Abuso e da Violência contra Crianças e Adolescentes, buscou promover a participação dos menores nas iniciativas em favor de medidas contra a violência e o abuso. Os objetivos da campanha 2011 também estão voltados a pressionar os governos a reagir frente à violência contra esta parcela da população.

Abuso é definido pela Campanha Mundial como “qualquer forma de sofrimento infligido a uma criança (violência, violência física, sexual ou psicológica) por uma pessoa que a tem sob custódia, que tem autoridade sobre ela e em quem a criança deveria poder confiar”.

As formas de violência acontecem em lugares de convívio como família, escola, sistema de proteção e justiça, trabalho e comunidade.

Como conseqüência, crianças e adolescentes passam a apresentar problemas de sociabilidade, desenvolvem depressão, se tornam agressivos, vão mal nos estudos, abusam de substâncias e apresentam problemas de relacionamento a dois.

Uma das ações da Campanha Mundial para todo este ano foi a iniciativa “19 dias de ativismo”.

Foram listadas 19 formas de abuso e violência para que, conhecendo o problema, todos possam agir de modo a prevenir: o castigo físico, o abuso sexual, o bullying, o abandono e a negligência, a exploração laboral, o recrutamento de crianças e adolescentes como soldados, a venda de menores de idade, o tráfico, a exploração sexual comercial, a pornografia, o turismo sexual, as práticas culturais nocivas, entre outras condutas nocivas e de vulneração dos direitos dos menores.

As ações de prevenção precisam ser colocadas em prática, com urgência, em todo o mundo para evitar que tenham continuidade os atos de violência sexual sofridos por 150milhões de meninas e 73 milhões de meninos, segundo dados das Nações Unidas.Condutas consideradas benéficas e corretivas, como o castigo corporal, também precisam ser combatidas em muitos países onde a prática é cultural. Apenas em29 Estados é proibida a violência em todas as suas manifestações.

As Nações Unidas também revelam que 1,2 milhão de crianças e adolescentes são traficados anualmente;entre 80 e 100 milhões de meninas são vítimas de práticas culturais como violência de gênero, infanticídio, aborto seletivo, desnutrição e abandono; e126 milhões de menores de idade são obrigados a trabalhar.

Para evitar estas práticas e proporcionar a crianças e adolescentes uma vida livre de abusos e violência, é preciso sensibilizar os Estados e a sociedade em geral, mas também incidir com mais intensidade em grupos onde as condições de vida possam gerar situações de abuso e violência, assim como trabalhar com famílias onde os maus-tratos aos menores já foram uma realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário