SIGA BRASIL SEM PEDOFILIA ATRAVÉS DO E MAIL

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

VÍTIMAS DE BULLYNG NAS ESCOLAS SOFREM AGRESSÃO DE PAIS EM CASA


Segundo pesquisa realizada, mais da metade dos entrevistados já apanhou de cinto dos pais ou levou tapa no rosto.

Pesquisa realizada com 239 alunos de Ensino Fundamental pela pesquisadora Lúcia Cavalcanti Williams, da Universidade Federal de São Carlos, identificou que cerca de 70% das crianças e adolescentes envolvidos com bullying (violência física ou psicológica ocorrida repetidas vezes) nas escolas sofrem algum tipo de castigo corporal em casa. 

Do total de entrevistados, 44% haviam apanhado de cinto da mãe e 20,9% do pai. A pesquisa mostra ainda outros tipos de violência: 24,3% haviam levado tapas no rosto, da mãe, e 13,4%, do pai. 

Para a psicóloga Alci Cabral, a criança que sofre agressividade em casa desenvolve submissão e dificuldade de iniciativa e defesa, pois está subordinada aos pais ou à autoridade hierárquica e passa a projetar fora o que vive dentro de casa. Neste caso, pais e professores devem valorizar a criança ou adolescente, aumentando a auto-estima da mesma. “Os adultos devem elogiá-la, mostrar a capacidade e o lado positivo que ela tem para que se fortaleça e enfrente situações em que é desafiada ou agredida.”

“Por outro lado, se a criança é a própria praticante do bullyng, ela também deve ser valorizada e enxergar que tem o lado bom, sem precisar competir com agressividade”, comenta a psicóloga.   

Atualmente, 30 países em todo o mundo têm leis que proíbem castigos na educação de crianças e adolescentes, entre eles a Suécia e a Alemanha. Como forma de diminuir os índices de violência contra menores em casa, pesquisadores sugerem a reforma legal, com a criação de leis que proíbam esse tipo de violência, a divulgação de campanhas nacionais, como as que já vêm sendo feitas, e a participação infantil, com crianças sendo encorajadas a falar sobre assuntos que as afetem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário