SIGA BRASIL SEM PEDOFILIA ATRAVÉS DO E MAIL

sábado, 9 de julho de 2011

04/07 - Brasil reduz em 22% pedofilia na internet, mas não cumpre requisitos para eliminar tráfico humano

De acordo com estudo feito pela associação italiana Telefono Arcobaleno em março deste ano, o crime de pedofilia na internet caiu 22% no Brasil. Porém no resto do mundo, o estudo mostra que cresceu 143%. A Alemanha (26.191), Estados Unidos (3.611) e Holanda (5.256), denotam o maior número de denúncias. 

Em 2008, foram 42.396 denúncias de material de conteúdo pedófilo na internet em 45 países. A Europa lidera o ranking com 86,6% das denúncias e a quantidade de material de pedofilia aumentou também em 406%, desde 2003. Em seguida vem a América do Norte com 10,8% de casos.

De acordo com o relatório, 39.891 Web sites tem conteúdos pornográficos com crianças. Ele aponta que qualquer pessoa pode comprar o material com pedofilia. O livre comércio no mundo virtual facilita a exploração e escravidão de muitas crianças.

A Telefono Arcobaleno luta contra o abuso de crianças na rede e dedica assistência total às vítimas, desde 1996.

Empresas se unem contra a pedofilia

Diversas empresas do mundo se unem contra a pedofilia. A Comissão Financeira Européia reúne empresas como a Visa, Microsoft, Paypal e as polícias do Velho Continente criaram essa aliança para lutarem contra esse mal que tem crescido consideravelmente no mundo todo.

O objetivo é facilitar a troca de informação para seguir os rastos dos pedófilos pelo mundo. Meio milhão de euros foram disponibilizados pela Comissão Européia nessa luta.

Um crime grotesco

A prostituição infantil é crime. Foto de crianças (meninos ou meninas) nus, fazendo sexo com adultos e outras crianças ou em posição erótica é no mínimo inaceitável. Os danos psicológicos causados a essas crianças, muitas vezes são irreversíveis. 

A luta contra a pedofilia na internet tem avançado bastante, mas infelizmente a punição para esse tipo de crime, ainda é difícil de ser realizada.

O maior número de acessos na web são os sites com conteúdos pornográficos, entre eles os que cometem crimes contra crianças. A facilidade na troca de informações favorece o espaço perfeito para esse tipo de crime. 

Em 2008, o presidente Lula sancionou a Lei criada pela Comissão parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia para punir pornografia infantil na internet. A Lei pune quem produz, reproduz, dirige, fotografa, filma ou registra cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. A pena é de quatro a oito anos, além de multa. Denuncie.
Brasil não cumpre requisitos para eliminar tráfico humano, diz relatório
O Brasil inclui uma lista de países que ainda não põe em prática todas as medidas necessárias para eliminar o tráfico de seres humanos, diz um relatório produzido pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos divulgado nesta segunda-feira (27).

“Nos países onde este crime é prevalente, como Camboja, Tailândia, Filipinas, Índia, Brasil, Jamaica e Quênia, a percepção popular atribui a principal fonte de demanda a turistas estrangeiros, predominantemente ocidentais, em busca de crianças para turismo sexual”, diz o documento, apresentado pela secretária de Estado Hillary Clinton (clique aqui para ler a íntegra, em inglês).

O documento classifica o Brasil na categoria 2, grupo no qual estão nações que "não cumprem totalmente os requisitos mínimos para a eliminação do tráfico, mas estão empreendendo esforços significativos para tanto". A posição é a mesma ocupada pelo país no ano passado.

O relatório divide os países em outras três categorias. No grupo 1 estão países cujos governos cumpriram com as medidas mínimas de combate asseguradas no Tratado de Proteção às Vítimas de Tráfico (TVPA, na sigla em inglês). Há ainda o grupo 2 sob observação (“watch list”) e o grupo 3, cujos governos não cumprem com estas medidas nem empreenderam esforços suficientes.

Nos comentários sobre a América Central e do Sul, em que o Brasil está incluído, o documento afirma que além do tráfico relacionado ao turismo sexual e prostituição infantil praticado por turistas estrangeiros, os governos não devem ignorar “fontes de demanda local” deste tipo de crime.

Países no grupo 1 podem deixar de receber ajuda não humanitária dos Estados Unidos e enfrentar a oposição de Washington a que entidades com o FMI e o Banco Mundial emprestem dinheiros para alguns programas.

Venezuela
Este ano, o documento incluiu a Venezuela no grupo 1, ao lado de países como Equador, Costa Rica, Panamá, República Dominicana e Cuba, que está no grupo de países que não combatem devidamente o tráfico de pessoas há 9 anos consecutivos.

“A Venezuela é um país de origem, trânsito e destino de homens, mulheres e crianças que não são traficados para serem explorados sexualmente ou laboralmente”, diz o documento, segundo o qual no ano passado os esforços no país se limitaram a 12 investigações abertas, sem que tenha sido divulgado se foi dado prosseguimento aos casos.

Fonte: JB Wiki / Correio do Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário